Paquistanês preso por massacre de Mumbai vivia em Barcelona

Islamabad, 12 fev (EFE).- Um dos paquistaneses detidos por suspeita de participação no atentado que matou 179 pessoas em novembro, na cidade indiana de Mumbai, vivia em Barcelona, segundo informou hoje o Governo do Paquistão.

EFE |

Em entrevista coletiva em Islamabad, o Ministro do Interior, Rehman Malik, explicou que o detido, identificado como Javed Iqbal, fez um pagamento no valor de US$ 238 para o uso de protocolos de comunicação através de internet, embora não tenha dado mais detalhes a respeito.

Segundo Malik, que pediu a cooperação do Governo espanhol, ele "deu nomes" de mais suspeitos às autoridades paquistanesas.

"A questão não é a quantidade de dinheiro, mas o vínculo, porque alguém doPaquistão ou a Índia está utilizando o sistema da Espanha" e de outros países, disse Malik.

O chefe paquistanês de Interior ressaltou também que o atentado contou com apoio financeiro, logístico e de comunicação de outros países, entre eles Itália e Áustria.

Seis paquistaneses foram detidos por suspeita de relação com o massacre de Mumbai, segundo Malik. EFE igb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG