James Cromitie foi sentenciado por tentar atacar uma sinagoga em Nova York e fazer planos para derrubar aviões

Uma juíza federal americana condenou nesta quarta-feira um homem a 25 anos de prisão e outros cinco anos de liberdade vigiada por tentar atacar uma sinagoga e um centro judeu de Nova York e planejar a derrubada de aviões militares junto a outras três pessoas, anunciou a promotoria federal de Manhattan.

Desenho mostra os quatro condenados por terrorismo durante julgamento em Nova York
AFP
Desenho mostra os quatro condenados por terrorismo durante julgamento em Nova York
Laguerre Payen, de 29 anos e origem paquistanesa, que tinha sido declarado culpado em outubro do ano passado por um júri popular, foi condenado a 25 anos de prisão pela juíza federal Coleen McMahoon, segundo detalhou em comunicado de imprensa o escritório do promotor de Manhattan, Preet Bahrara.

Payen recebeu assim a mesma pena que James Cromitie, David Williams e Onta Williams, sentenciados em junho por ter conspirado para utilizar armas de destruição em massa nos Estados Unidos, ter tentado usar este tipo de armamento e ter tentado comprar e empregar mísseis antiaéreos.

Cromitie e David Williams também foram declarados culpados de um delito de conspiração para assassinar funcionários americanos. Payen "participou de um complô para usar bombas e mísseis contra sinagogas de Nova York e aviões militares dos Estados Unidos. Embora destas armas serem falsas, achou que eram reais e a sentença demonstra a gravidade dos crimes", indicou Bahrara em comunicado de imprensa. Os quatro, todos de Newburgh (Nova York), foram detidos em maio de 2009 no bairro nova-iorquino do Bronx, após terem sido vigiados durante meses pelo FBI.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.