Paparazzo inglês é condenado em segunda instância por fotos lascivas de Diana

Absolvido em primeira instância, o fotógrafo britânico Jason Fraser foi condenado nesta quinta-feira pela Corte de Apelações de Paris por ter tirado fotos da princesa Diana e de Dodi al-Fayed em um iate, em agosto de 1997 em Portofino, na Itália.

AFP |

Jason Fraser, 41 anos, estava entre os cerca de dez de paparazzi que tiraram as primeiras fotos do casal formado por Lady Di e Dodi al-Fayed, pouco antes da morte de ambos em um acidente de carro em Paris, no fim de agosto de 1997.

Fraser foi processado por Mohamed al-Fayed, o pai de Dodi, por ter tirado fotos dos dois em poses lascivas em um iate ancorado na baía de Portofino, e ter vendido as imagens aos jornais The Daily Mail e The Sun.

Como as fotos também foram publicadas pelas revistas franceses Paris Match e France Dimanche, a Justiça francesa tinha competência para julgar o caso.

Nesta quinta-feira, a Corte de Apelações considerou o fotógrafo e o editor-chefe da France Dimanche, Ghislain Leleu, culpados de violação da intimidade da vida privada, e condenou os dois a pagar uma multa de 3.000 euros cada um.

O paparazzo também terá que pagar 5.000 euros a Mohamed al-Fayed.

dom/yw/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG