Papai Noel promove estilo de vida pouco saudável, diz especialista

Com sua figura avantajada e a imensa barriga, o Papai Noel estaria sendo um mau exemplo para as crianças, de acordo com o especialista em saúde pública Nathan Grills, da Monash University, da Austrália.

BBC Brasil |

Figura reconhecida em todo o mundo - e possivelmente uma das mais famosas -, a capacidade do Papai Noel de vender produtos já foi assimilada há muito tempo pelas empresas e comércio, afirma o pesquisador, mas os serviços de saúde pública ainda não estudaram o impacto que seus hábitos podem ter sobre as crianças.

Ele propõe ainda uma nova imagem do Papai Noel, mais saudável, para garantir influência positiva.

Segundo artigo publicado no site da revista especializada British Medical Journal, a tradição anglo-saxã de deixar um copo de brandy ou vinho do Porto para ajudar o Papai Noel em sua viagem noturna, por exemplo, poderia incentivar o hábito de beber álcool antes de dirigir.

"Se o Papai Noel tomar cada dose de brandy ou Porto deixada para ele, vai estar acima do limite depois de poucas casas", afirma o autor.

A tradição de deixar biscoitos, tortinhas ou um copo de leite também estaria promovendo a obesidade, e o autor sugere que ao bom velhinho seja destinado o mesmo lanche preparado para a rena Rudolph, de cenouras e aipo.

"Ele também poderia ser encorajado a adotar um método mais ativo para entregar os presentes - trocando suas renas por uma bicicleta ou simplesmente andando, ou correndo."

Esportes radicais

Além da obesidade e alcoolismo, Papai Noel também promoveria "esportes" radicais.

"Ferimentos são a principal causa de mortalidade na infância", diz o artigo, afirmando que a imagem de saúde pública do Papai Noel em relação à prevenção de acidentes já foi questionada.

"Apesar dos riscos da viagem aérea em alta velocidade, o Papai Noel nunca foi visto usando cinto de segurança, ou um capacete", escreve Grills.

O autor acredita que o "bom velhinho" poderia ainda ser acusado de ignorar leis de trânsito e promover direção em alta velocidade (para entregar todos os presentes em uma noite), além de promover esportes radicais como "surfe de telhado" e "salto na chaminé".

O artigo, no entanto, menciona que, pelo menos agora, o Papai Noel não é mais fumante, já que foi proibido o uso de sua imagem em propagandas de cigarro em muitos países. Mas ainda assim é possível encontrar cartões de Natal que mostram o velhinho com um charuto ou um cachimbo.

Para completar, o especialista em saúde pública lembra que a maioria dos Papais Noéis contratados para trabalhar durante o Natal não passam por exames médicos e poderiam, facilmente, ser um vetor de contaminação por doenças como a gripe, por exemplo.

Grills conclui que, no campo de pesquisas da saúde pública, "há decepcionante falta de pesquisas rigorosas sobre o efeito do Papai Noel na saúde pública" e que seriam necessárias mais pesquisas para que as autoridades agissem para regular as atividades do bom velhinho.

Mas o pesquisador afirma que "precisamos estar cientes de que o Papai Noel tem uma habilidade de influenciar pessoas, especialmente crianças, em direção a um comportamento pouco saudável".

Segundo Grills, se Papai Noel influenciar apenas 0,1% das crianças, milhões de vida já seriam prejudicadas.

Leia mais sobre Natal

    Leia tudo sobre: natal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG