Papa sofre cirurgia por fratura no pulso, mas passa bem e recebe alta

O Papa Bento XVI, que foi operado nesta sexta-feira por causa de uma fratura no pulso direito, passa bem e deixou rapidamente o hospital de Aoste (norte da Itália) de volta para sua residência de férias.

AFP |

O Papa, ao sair a pé do hospital, estava sorrindo e acenou com o braço esquerdo, com um gesso no pulso direito, segundo imagens difundidas pela televisão Sky TG24.

"O Santo Padre, que caiu acidentalmente em sua residência, fraturou o pulso direito. Sua Santidade foi submetido a uma intervenção com anestesia local", afirmou, por sua vez, o médico pessoal do Papa, Patrizio Polisca, no comunicado publicado anteriormente pelo Vaticano.

"As condições gerais do Santo Padre são boas", conclui o comunicado.

A Santa Sé informou que a fratura leve no pulso direito aconteceu por causa de uma queda do Papa durante a noite, em seu quarto. Pela manhã, o Sumo Pontífice foi levado ao serviço de emergência do hospital de Aoste.

A Santa Sé fez questão de esclarecer que a fratura do punho se deu por uma queda e não por um desmaio, como aventado pela imprensa.

O Vaticano disse ainda que Bento XVI oficializou normalmente a missa e depois tomou seu café da manhã antes ir ao hospital.

Destro, o Papa, que deve celebrar o Ângelus domingo em Romano Canavese, na região vizinha do Piemont, não poderá praticar seu exercício preferido, tocar piano.

Este é o primeiro problema de saúde do papa alemão, de 82 anos, desde o início de seu pontificado. Somente alguns sinais de cansaço haviam sido notados até então, principalmente ao voltar de algumas viagens ao exterior.

Assim que ele assumiu como Papa, em abril de 2005, o jornal de grande tiragem alemão Bild havia afirmado que o futuro papa havia sido internado durante quase um mês em 1991 após uma hemorragia cerebral e sofreu diversos esgotamentos nos últimos anos.

Fontes próximas ao caso em Roma, disseram que o incidente de 1991 não havia deixado nenhuma sequela.

Em agosto de 1992, o então cardeal Ratzinger levou um tombo durante suas férias em Bressanon (norte). Ele teve um corte na cabeça, levou pontos e ficou alguns dias em observação.

O Vaticano não publica boletins de saúde do Papa, exceto em caso de doença ou de acidente.

Seu predecessor João Paulo II, morto em 2 de abril de 2005, tinha doença de Parkinson. Ele precisou, durante os últimos anos de sua vida, de cuidados médicos constantes.

fmi/cn/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG