Papa se diz comovido com a morte do controvertido cardeal Pio Laghi

O Papa Bento XVI lamentou com viva comoção a morte do cardeal italiano Pio Laghi e elogiou seu longo e generoso serviço à Igreja.

AFP |

"A triste notícia do desaparecimento de vosso querido tio, o cardeal Pio Laghi, suscitou viva comoção em minha alma pela grata recordação que conservo de seu longo e generoso serviço à Santa Sé", escreveu o Papa num telegrama de pêsames enviado nesta segunda-feira aos familiares do religioso e divulgado pela assessoria do Vaticano.

O cardeal italiano Pio Laghi, que foi núncio apostólico na Argentina de 1974 a 1980 e acusado pelas "Mães da Praça de Maio " de ter apoiado a ditadura, morreu na noite de sábado em um hospital de Roma aos 86 anos, anunciou no domingo a Rádio Vaticano.

Diplomata de alto escalão, o cardeal foi denunciado como "cúmplice" do desaparecimento de opositores políticos pela associação de mães argentinas e foi, inclusive, alvo de um processo judical ante a justiça italiana que não foi adiante.

O religioso explicou em 1997 que só soube o que aconteceu depois que deixou a Argentina. "Apenas no fim de 1979 tive a certeza de que as violações dos direitos humanos foram sistemáticas e então as condenei ", declarou na ocasião.

Nessa mesma época, foi um dos artesãos da mediação do Vaticano que permtiu, em 1978, evitar a guerra entre a Argentina e o Chile pela soberania sobre o canal de Beagle.

Em 1990 foi nomeado prefeito da Congregação para a Educação católtica por João Paulo II, posto que deixou em 1999. Em 2003, viajou a Washington para tentar convencer o presidente George W. Bush a não invadir o Iraque.

Seus funerais serão realizados na terça-feira.

afp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG