Papa reza missa na maior catedral gótica dos Estados Unidos

NOVA YORK - O papa Bento 16 chegou neste sábado à catedral nova-iorquina de St. Patrick, onde realiza uma missa voltada para o clero americano, celebração que coincide com seu terceiro aniversário de Pontificado.

Redação com agências internacionais |

Bento 16 foi recebido na sua chegada pelo arcebispo de Nova York, Edward Egan, pelo reitor da catedral, Robert Ritchie, e pelo prefeito da cidade, Michael Bloomberg.

Em razão de a catedral estar situada no coração de Nova York, em meio a enormes arranha-céus, as medidas de segurança são excepcionais e todas as ruas adjacentes foram fechadas e a região foi completamente isolada.


Bento 16 foi recebido pelo prefeito de NY, Michael Bloomberg / AP

Além dos três mil religiosos, cerca de cinco mil fiéis são esperados do lado de fora da catedral de St. Patrick, o maior templo gótico dos Estados Unidos, onde podem ouvir e ver a celebração religiosa em telões gigantes.

Ainda neste sábado, Bento 16 se reúne no seminário de St. Joseph, em Yonkers, com um grupo de 50 jovens e crianças portadores de necessidades especiais, e no domingo visitará o "Marco Zero", local dos ataques terroristas da Al-Qaeda contra o World Trade Center em 11 de setembro de 2001.

Seu último compromisso oficial nos Estados Unidos será uma missa no estádio dos Yankees, no bairro do Bronx, de maioria latina, e que contará com a presença de 57 mil católicos na manhã de domingo.

Bento 16 na ONU e sinagoga

O Papa Bento 16 visitou, na última sexta-feira, uma sinagoga de Nova York , na véspera da Pessach, a Páscoa judaica celebrada nesse final de semana, em um gesto qualificado de "simbolicamente muito importante" por dirigentes da coletividade.

"Shalom! Vim aqui com grande alegria, poucas horas antes do início da celebração de vosso Pessach, para expressar meu respeito e estima pela comunidade judaica de Nova York", disse o Papa. "Sempre lembrarei desse momento", acrescentou.


Papa Bento 16 fez rápida visita a uma sinagoga de Nova York / AFP

Em seu discurso na Assembléia Geral das Nações Unidas , também na sexta-feira, o papa que, ao tentarem alcançar soluções para conflitos, os países recorram ao diálogo e, principalmente, as ações multilaterais.

Na ONU, Bento 16 abordou um ponto já discutido no encontro que teve quarta-feira com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush: a necessidade de a diplomacia internacional solucionar crises.

O papa disse que questões como a "segurança, as metas de desenvolvimento, a redução das desigualdades locais e globais, e a proteção dos recursos e do clima" precisam de "que todas as autoridades internacionais atuem conjuntamente".


Bento 16 foi muito aplaudido na ONU / AP

Segurança reforçada

As autoridades de Nova York blindaram a cidade para receber o pontífice, com um nível de segurança igual ao aplicado em setembro para a realização da Assembléia Geral da ONU, à qual compareceram chefes de Estado ou de Governo e ministros de Exteriores de mais de 100 países.

O chefe da Polícia de Nova York, Raymond Kelly, anunciou que a estadia do papa nesta cidade será vigiada do céu por helicópteros, além de barcos patrulheiros no rio East, e com todos os dispositivos policiais nas ruas da cidade. Também foram posicionados franco-atiradores nos telhados dos edifícios mais próximos aos locais visitados pelo pontífice.

Leia também:

Clique na imagem e veja o infográfico sobre a viagem do papa



Leia mais sobre: papa Bento 16

Com EFE, AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: bento 16

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG