Milhares de pessoas participaram neste domingo de uma missa campal celebrada pelo papa Bento XVI na Jordânia, no terceiro dia de sua visita ao Oriente Médio. A missa, realizada em um estádio de futebol na capital Amã foi acompanhada por centenas de crianças que agitaram bandeiras da Jordânia e do Vaticano.

O governo do país concedeu um feriado à população de 200 mil católicos e de outras crenças cristãs na Jordânia neste domingo, dia normal de trabalho no país, para que pudessem comparecer à missa papal.

Ainda assim, segundo o repórter da BBC que acompanha a viagem do pontífice David Willey, vários dos 20 mil assentos do estádio ficaram vazios.Durante a missa, o papa pediu aos fiéis que não esqueçam da "grande dignidade" que vem da herança cristã."A fidelidade às nossas raízes cristãs, à missão da Igreja na Terra Santa exige de cada um de vocês uma dose de coragem", disse o pontífice.

Ainda neste domingo, Bento XVI visitará o local onde jesus Cristo teria sido batizado, no Rio Jordão.

A visita ao Oriente Médio tem como objetivo melhorar as relações do Vaticano com líderes islâmicos e judeus e encorajar a minoria cristã na região.

Após a passagem pela Jordânia o segue para Israel, onde estão previstas visitas a Jerusalém e à cidade palestina de Belém, na Cisjordânia, local onde segundo a tradição cristã nasceu Jesus. O Papa fará um apelo pela paz entre israelenses e palestinos e pela criação de uma "terra palestina".

A visita do Papa ao Oriente Médio também é vista por muitos como uma tentativa de interceder em favor dos árabes cristãos.

O número de cristãos árabes vem diminuindo nos últimos anos em países muçulmanos, o que preocupa o Vaticano - o Oriente Médio é considerado o berço do Cristianismo e abriga algumas das mais antigas comunidades cristãs do mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.