O Papa Bento XVI reiterou nesta sexta-feira a condenação da Igreja Católica à anticoncepção, por ocasião dos 40 anos da polêmica encíclica Humanae vitae de Paulo VI sobre o tema, que fechou a porta a qualquer evolução.

"Excluir a possibilidade de dar a vida por meio de uma ação destinada a impedir a procriação significa negar a verdade íntima do amor conjugal", afirma o Papa em uma mensagem dirigida aos participanes de um colóquio sobre a "Humanae Vitae" e publicada pelo serviço de imprensa do Vaticano.

O único método contraceptivo admitido pela Igreja Católica, quando o casal passa por "circunstâncias graves" que justificam atrasar os nascimentos é "a observação dos ritmos naturais da fertilidade da mulher" (ou seja a abstinência no período de fertilidade), acrescenta o Sumo Pontífice.

A encíclica "Humanae vitae" provocou em 1968 um terremoto na Igreja Católica e causou o afastamento de muitos fiéis de uma instituição que para eles não levava em consideração as realidades da vida.

nou/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.