Tamanho do texto

O Papa Bento XVI recebeu nesta segunda-feira em audiência privada a ex-refém franco-colombiana Ingrid Betancourt, em sua residência de verão de Castelgandolfo, nos arredores de Roma,

Betancourt chegou acompanhada de sua mãe, Yolanda Pulecio, que já havia sido recebida pelo Pontífice em fevereiro. Na ocasião Yolanda pediu ao Papa que rezasse pelos reféns na Colômbia.

A audiência com o Papa durou 20 minutos e foi de caráter "estritamente privado", seguindo os protocolos do Vaticano. Portanto, os jornalistas não puderam entrar.

Católica fervorosa, Ingrid Betancourt havia manifestado o desejo de ver o Papa ao ser libertada, no dia 2 de julho, após seis anos de cativeiro das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

Antes do encontro com o Papa, o prefeito da pequena cidade de Castelgandolfo, Maurizio Colacchi, fez questão de cumprimentar a ex-refém na praça da entrada do palácio.

Betancourt, que chegou domingo à noite a Roma, deve conceder uma entrevista à imprensa mais tarde nesta segunda-feira.

Ela ficará na Itália até dia 3 de setembro. Terça-feira, será recebida pelo presidente da República, Giorgio Napolitano, o chanceler Franco Frattini e o presidente da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini.

Betancourt viajará depois à Florença (centro da Itália), onde receberá a cidadania de honra dessa cidade dirigida pela esquerda.

Domingo à noite, visitou a sede da comunidade católica de São Egídio, que se mobilizou por sua libertação, e jantou com o ex-prefeito de Roma Walter Veltroni, que organizou inúmeras manifestações de solidariedade e atos simbólicos para pedir sua libertação.

kv/lm/fp