Papa promete pela 1ª vez em público ação diante de abusos

O papa Bento 16 disse nesta quarta-feira que compartilhou do sofrimento de vítimas de abusos sexuais cometidos por sacerdotes da Igreja Católica e prometeu publicamente, pela primeira vez, lidar com as alegações. Durante sua audiência pública semanal na Praça de São Pedro, em Roma, Bento 16 falou do encontro que teve com oito vítimas de abuso por sacerdotes em Malta, no último fim de semana.

BBC Brasil |

"Quis encontrar algumas pessoas vítimas de abusos por parte de expoentes do clero. Compartilhei com eles o sofrimento e, com comoção, rezei com eles, assegurando a ação da Igreja", disse o papa.

Bento 16 havia ido a Malta para marcar os 1.950 anos do naufrágio de São Paulo naquela região. O encontro com as vítimas de abusos não estava no programa oficial da visita e foi mantido em segredo ate o último momento.

Demissão nos EUA
Alegações de abusos sexuais cometidos por sacerdotes começaram a surgir em 2002 nos Estados Unidos, mas desde então têm sido registradas em vários outros países.

A hierarquia do Vaticano está sendo acusada de não ter denunciado os padres que cometeram abusos às autoridades civis e de tê-los acobertado, apenas mudando os clérigos para outras dioceses.

Na terça-feira, a Santa Sé anunciou a demissão do monsenhor John C. Favalora, arcebispo de Miami, cuja diocese teve 45 religiosos acusados de terem cometido abusos sexuais em 2002.

Na época, o bispo foi criticado por ter acobertado alguns sacerdotes.

Aos 74 anos de idade, e a um ano de se aposentar, Favalora estava com problemas de saúde.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG