Papa proclama 5 novos santos, incluindo um guerreiro português

LISBOA - O papa Bento XVI criou cinco novos santos no domingo, incluindo o herói nacional português Nuno Álvares Pereira, guerreiro e frade medieval visto como responsável por garantir a independência portuguesa de Castela.

Reuters |

O papa disse a peregrinos na cerimônia de canonização, no Vaticano, que o nobre português do século 14 demonstrou que "em qualquer situação, mesmo uma de natureza militar e guerreira, é possível agir e viver dentro dos valores e princípios da vida cristã".

A canonização de Nuno Álvares Pereira vem provocando grande emoção entre os católicos portugueses, com exposições sobre sua vida atraindo multidões, além do lançamento de biografias e de um selo postal comemorativo com seu retrato.

A Conferência de Bispos de Portugal traçou comparações entre a crise da sucessão portuguesa, em 1383-1385, e a atual crise econômica global, "que nasceu de um vazio de valores morais", citando o exemplo dado pelo santo de sobriedade e partilha da riqueza.

"Queremos que esta seja uma celebração anticrise. Queremos que a canonização seja um sinal de esperança", disse no início da semana o frei Francisco Rodrigues, que liderou o esforço pela canonização.

Nascido em 1360 e agraciado com o título de Condestável de Portugal com apenas 24 anos, Nuno Álvares Pereira liderou 6.500 soldados portugueses que derrotaram mais de 30 mil castelhanos na batalha de Aljubarrota, em 1385, jogando por terra as tentativas de Castela de dominar terras portuguesas e inaugurando dois séculos de paz.

Álvares Pereira era o homem mais rico de Portugal, mas abriu mão de todos os seus títulos e de sua riqueza para se tornar frade no Convento do Carmo, que ele próprio construíra em Lisboa. Passou seus últimos anos de vida entre orações e penitências, sob o nome de frade Nuno de Santa Maria.

Venerado por muito tempo em Portugal e suas ex-colônias, houve tentativas de canonizá-lo já no século 15 e ele foi beatificado em 1918. Mas foi preciso um milagre atribuído a ele em 2000 para que o processo pudesse ser concluído.

Os fiéis dizem que ele interveio para curar o olho de uma mulher que tinha sido queimado por óleo fervente.

Os outros santos criados no domingo incluem o aristocrata do início do século 14 Bernardo Tolomei, de Siena, que morreu juntamente com outros 82 monges de sua ordem ajudando vítimas da Peste Negra de 1348.

Três italianos do século XIX --o padre Arcangelo Tadini e duas mulheres, Geltrude Comensoli e Caterina Volpicelli, que fizeram votos de castidade e fundaram congregações de religiosas-- foram canonizados por ajudar os pobres e pela dedicação à oração.

    Leia tudo sobre: papareligião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG