Papa pede unidade no lançamento do Ano de São Paulo

ROMA (Reuters) - O papa Bento 16 fez um pedido pela unidade cristã ao se juntar ao líder dos cristãos ortodoxos neste sábado para o lançamento do ano dedicado a São Paulo, o evangelista nascido há dois milênios. O papa presidiu a cerimônia na Basílica de São Paulo fora dos Muros, em Roma, que abriga o sarcófago em que estariam os restos mortais do apóstolo. Essa é a segunda maior basílica de Roma, menor apenas que a de São Pedro, localizada no Vaticano.

Reuters |

'Nós, apesar de sermos muitos, somos um só corpo', disse o papa numa referência aos laços que unem os cristãos.

Junto ao papa na cerimônia estava o Patriarca Ecumênico Bartolomeu, líder espiritual dos ortodoxos de todo o mundo. A Igreja Ortodoxa separou-se da Católica em 1054.

São Paulo nasceu na cidade de Tarso, na atual Turquia. Ele perseguiu os primeiros cristãos, mas se converteu depois de ter uma visão na estrada que levava para Damasco anos após a morte de Jesus Cristo e tornou-se conhecido como 'apóstolo dos gentios'.

De acordo com a tradição católica, São Paulo foi morto por conta de sua fé religiosa no Século 1o e enterrado na região romana de Via Ostiense.

Bento 16 reuniu-se várias vezes com o líder ortodoxo na tentativa de curar as feridas abertas pela separação das duas Igrejas.

'São Paulo nos lembra que a comunhão total entre todos os cristãos encontra seus fundamentos em um único pai, uma única fé e um único batismo', disse o papa em um discurso para Bartolomeu.

(Reportagem de Phil Stewart)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG