Papa pede sociedade mais justa na mensagem de Quaresma

Cidade do Vaticano, 4 fev (EFE).- Em sua Mensagem para a Quaresma deste ano, o papa Bento XVI criticou a falta de sensibilidade das pessoas com a morte de milhões de seres humanos por falta de recursos básicos, como alimentos, e disse que Jesus também condena essa indiferença.

EFE |

Com o lema "A justiça de Deus se manifestou pela fé em Jesus Cristo", a mensagem foi apresentada hoje no Vaticano pelo cardeal Paul Josef Cordes, presidente do Conselho Pontifício "Cor Unum", entidade encarregada por distribuir a caridade do papa.

"Jesus, sem dúvida, condena a indiferença que ainda hoje provoca a morte de centenas de milhões de pessoas por falta de alimentos, de água e de remédios", disse o Sumo Pontífice, acrescentando que "além do pão, o ser humano necessita de Deus".

O papa se perguntou de onde vem a injustiça, e afirmou que esta, "fruto do mal", não tem raízes exclusivamente externas, mas tem origem no coração do homem, "onde está o germe de uma misteriosa convivência com o mal".

O papa explicou ainda que, para sair dessa situação, é necessária uma "libertação do coração" e a justiça de Cristo.

A Quaresma tem início na Quarta-feira de Cinzas, 40 dias antes da Semana Santa, e seu período é considerado por muitos cristãos como de reflexão. EFE.

jl/id

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG