Papa pede que sociedade se una pelo fim da crise econômica

Cidade do Vaticano, 31 jan (EFE).- O papa Bento XVI pediu hoje que os diferentes agentes sociais interajam mais em prol da superação da atual crise econômica, na qual, segundo o Pontífice, os movimentos sindicais têm muito a dizer.

EFE |

"Para superar a crise econômica e social que estamos vivendo, sabemos que é preciso um esforço livre e responsável por parte de todos. É necessário, portanto, superarmos os interesses particulares e de setores e enfrentarmos juntos e unidos as dificuldades", disse o papa em uma audiência com representantes do sindicato italiano CSIL.

"Nunca, como agora, tal urgência é alardeada. As dificuldades que sacodem o mundo do trabalho apontam para a necessidade de uma efetiva e mais estreita interação entre os múltiplos e diversos componentes da sociedade", acrescentou.

Segundo o Pontífice, o mundo precisa de pessoas que se dediquem com desinteresse à causa do trabalho, e a Igreja Católica está disposta a oferecer sua ajuda aos sindicatos, cujo papel na sociedade aprecia.

"A preocupante crise econômica atual convida a saber acolher e a encontrar uma nova síntese entre o bem comum e o mercado, entre o capital e o trabalho. E neste âmbito, é significativa a contribuição que as organizações sindicais podem dar", disse Bento XVI. EFE mcs/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG