CIDADE DO VATICANO - O Papa Bento 16 pediu neste domingo a dirigentes políticos e empresários que deem prioridade aos trabalhadores e às suas famílias, depois de cumprimentar uma delegação de operários de uma fábrica da Fiat do sul da Itália que estão desempregados há meses.

Ao falar de sua janela do Vaticano aos fiéis reunidos na Praça São Pedro para a oração dominical do Angelus, o Papa mencionou especialmente uma delegação de trabalhadores da fábrica de Fiat de Pomigliano D'Arco, perto de Nápoles.

"Desejo encorajar as autoridades políticas e civis, assim como os empresários, para que com o apoio de todos possamos enfrentar este momento delicado", disse Bento XVI, lembrando da "prioridade que deve ser dada aos trabalhadores e suas famílias" nestes momentos.

A Fiat é o primeiro empregador privado na Itália, com 78.000 pessoas, das quais 5.000 trabalham em Pomigliano D'Arco. Em meio à crise, o grupo recorreu em massa ao desemprego técnico. Em 5 de fevereiro, uma manifestação nessa fábrica terminou em confrontos com a polícia.

Leia mais sobre: crise financeira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.