Papa pede que diálogo ocupe lugar de armas na Líbia

Em tradicional mensagem de Páscoa, Bento 16 conclamou o povo a ser solidário aos que "tiveram de deixar tudo para trás"

iG São Paulo |

AFP
Papa Bento 16 pediu diálogo e lembrou de recentes tragédias mundiais nesta Páscoa

Neste domingo de páscoa, o Papa Bento 16 pediu que a diplomacia e o diálogo ocupem o lugar das armas na Líbia e que se favoreça o acesso à ajuda humanitária a todos os que sofrem as consequências do conflito nesse país. Invocou a solidariedade aos foragidos e refugiados vindos de diversos países africanos para Europa, "pessoas obrigadas a deixar pra trás tudo o que tinham em busca da própria sobrevivência".

A mensagem foi pronunciada a partir do balcão central da basílica de São Pedro do Vaticano diante de 150 mil pessoas que lotavam a praça. "Que o fulgor de Jesus chegue também aos povos do Oriente Médio , para que a luz da paz e da dignidade humana vença as trevas da divisão, do ódio e da violência", disse o papa.

Bento 16 pediu o retorno da convivência civil entre a população da Costa do Marfim, "onde é urgente empreender um caminho de reconciliação e perdão para curar as profundas feridas provocadas pelos recentes confrontos".

Em sua mensagem que repassou a situação do mundo, o papa encorajou e deu esperança ao Japão, atingido recentemente por um terremoto e posterior tsunami , e para todos os países que nos últimos meses sofreram com calamidades naturais que semearam dor e angústia, como a Colômbia

    Leia tudo sobre: papabento 16missapáscoalibia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG