Papa pede que Brasil mantenha proibição a células-tronco

CIDADE DO VATICANO - Em discurso ao novo embaixador do Brasil para a Santa Sé, Luiz Felipe de Seixas Corrêa, o papa Bento 16 pediu que o governo brasileiro mantenha a proibição ao aborto, à eutanásia e às pesquisas com células-tronco embrionárias.

EFE |

Ele apelou para que o governo "fomente os valores humanos fundamentais, a família e a proteção do ser humano desde o momento de sua concepção até a morte natural e exigiu, respeito aos experimentos biológicos, que se proteja o direito do embrião a nascer".

Bento 16 ressaltou as boas relações entre a Santa Sé e o Brasil dizendo que ambos coincidem na defesa do bem comum para a nação, na qual os católicos formam a maioria da população.

O papa se disse satisfeito pelas políticas "de desenvolvimento, de luta contra a pobreza e de renovação tecnológica" do governo brasileiro e encorajou para consiga "uma melhor distribuição da renda e maior justiça social para o bem da população".

Leia mais sobre papa Bento 16

    Leia tudo sobre: papa bento 16

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG