Cidade do Vaticano, 2 ago (EFE).- O papa Bento XVI pediu orações pelos cristãos perseguidos e que sejam reconhecidos seus direitos humanos, igualdade e liberdade religiosa para poder viver e professar livremente a própria fé, informou hoje a Rádio Vaticano.

Os pedidos do pontífice coincidiram com a notícia, destacada pela "Rádio Vaticano", que pelo menos sete cristãos - entre eles uma criança e quatro mulheres - morreram queimados nas últimas horas por um grupo de fundamentalistas islâmicos na cidade de Gojra, na província do Punjab, no Paquistão.

A emissora da Santa Sé, que incluiu os pedidos do papa na informação sobre os incidentes no Paquistão, afirmou que o motivo da agressão foi a suposta profanação do Corão por uma criança cristã, o que gerou a revolta da população islâmica.

Segundo a rádio vaticana, o ministro de Minorias paquistanês, Shahbaz Bhatti, qualificou as acusações de "um pretexto e de falsas", e denunciou que a Polícia não protege suficientemente a pequena comunidade cristã, formada por entre 2 mil e 3 mil pessoas.

Diante das acusações, cerca de 3 mil muçulmanos devastaram dezenas de casas de cristãos e queimaram duas igrejas.

A "Rádio Vaticano" ressaltou que cerca de 200 milhões de cristãos são perseguidos no mundo por sua fé. EFE JL/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.