Papa pede desculpas por abusos sexuais cometidos por padres na Austrália

O papa Bento 16 pediu desculpas aos australianos neste sábado (sexta-feira em Brasília) pelos abusos sexuais de crianças cometidos por membros do clero da Igreja Católica e disse que os responsáveis devem ser levados à Justiça. Eu sinto muito pela dor e pelo sofrimento que as vítimas suportaram, disse o papa, durante uma missa acompanhada por bispos católicos em Sydney.

BBC Brasil |

Bento 16 falou sobre "a vergonha que todos nós sentimos" e disse que esses atos representam "uma grave traição de confiança" e merecem "condenação inequívoca".

Segundo o correspondente da BBC em Sydney, Nick Bryant, 107 membros do clero da Igreja Católica já foram condenados na Austrália por alegações de abuso sexual.

Vítimas
Grupos de apoio afirmam que milhares de australianos foram vítimas desse tipo de abuso e vinham exigindo um pedido de desculpas do papa.

No entanto, um dos principais grupos de apoio a vítimas de abusos sexuais cometidos por membros da Igreja na Austrália, o Broken Rites, considerou o pedido de Bento 16 superficial.

O grupo quer que o papa se encontre pessoalmente com algumas das vítimas.

De acordo com Bryant, algumas vítimas acusam a Igreja Católica na Austrália de ser relutante em admitir a escala do problema e continuar a acobertar casos de abuso.

Visita
Bento 16 está na Austrália para a Jornada Mundial da Juventude, um dos mais importantes eventos dirigido aos jovens organizado pela Igreja Católica e que tem a participação de fiéis de todo o mundo.

Em um discurso na quinta-feira, o papa criticou o secularismo e o consumismo das sociedades modernas.

Nesta sexta-feira, em uma reunião com líderes de outras religiões, Bento 16 pediu a união de todas as religiões contra o terrorismo e pela resolução pacífica dos conflitos no mundo.

A visita do papa à Austrália será encerrada neste domingo, com uma missa a céu aberto.

    Leia tudo sobre: papa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG