arduamente contra doenças na África - Mundo - iG" /

Papa pede a clérigos que sigam trabalhando arduamente contra doenças na África

IAUNDÊ - O papa Bento 16 visitou nesta quinta-feira um centro para menores deficientes físicos e mentais na capital de Camarões, Iaundê, onde pediu aos clérigos da Igreja Católica que sigam trabalhando arduamente no combate a doenças como a Aids, a malária e a tuberculose, que atingem especialmente o continente africano.

Redação com Agência Ansa |

AP
Papa recebe flores no centro de menores
Bento 16 visita crianças deficientes
Desta vez, porém, o pontífice não se referiu ao uso de preservativos como método de prevenir a infecção pelo vírus HIV, como havia feito na terça-feira, antes de chegar a Camarões.

Bento 16 reiterou que não "esquece" aqueles que, "em suas casas, nos hospitais, centros especializados ou nos dispensários, são portadores de deficiências físicas ou mentais", e nem os que "levam consigo os sinais da violência e da guerra".     

"Penso em todos os doentes, e especialmente naqueles que são vítimas de enfermidades como a Aids, a malária e a tuberculose na África", ressaltou o pontífice.     

"Diante destes sofrimentos atrozes, sentimo-nos desarmados e muitas vezes não encontramos as palavras justas", afirmou o papa. "Diante de um irmão ou uma irmã submergidos no mistério da Cruz, um silêncio respeitoso e condolente, nossa presença sustentada por uma prece, um gesto de ternura e conforto, um olhar ou um sorriso às vezes podem dizer mais do que muitos discursos", acrescentou.

Bento 16 disse "saber bem" como a Igreja Católica "trabalha arduamente" para combater "estes terríveis flagelos", e manifestou apoio para que ela continue atuando desta forma, para que as "iniciativas urgentes" prossigam.

Em uma quadra próxima ao centro de deficientes, cerca de 200 homens e mulheres de vários países, entre eles portadores do vírus HIV, acompanharam o discurso do papa.    

O pontífice estava rodeado por crianças em cadeiras de roda e, ao aproximar-se de uma delas, uma garota, deu-lhe um buquê de flores e apertou suas mãos. Ao final do discurso, ele cumprimentou um a um os doentes presentes, antes de entrar no papamóvel em direção à Nunciatura.    

Bento 16 segue amanhã para Angola, segundo país que visitará em seu primeiro giro pela África. O retorno à Itália está previsto para o dia 23.

Leia também:


Leia mais sobre Bento 16

    Leia tudo sobre: papa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG