Papa nomeia arcesbispo espanhol para Congregação Culto Divino

Cidade do Vaticano, 9 dez (EFE).- O papa Bento XVI nomeou o cardeal arcebispo de Toledo e primado da Espanha, Antonio Cañizares Llovera, de 63 anos, governador regional da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, informou hoje o Vaticano.

EFE |

O cardeal Cañizares substitui no cargo o cardeal nigeriano Francis Arinze, de 76 anos, que apresentou sua renúncia por motivos de idade e a teve aceita pelo pontífice.

Antonio Cañizares passa a ser o espanhol com mais alto cargo no Vaticano, já que os cardeais que havia até agora na Cúria -Eduardo Martínez Somalo e Julián Herránz Casado, presidente emérito do Conselho Pontifício para os Textos Legislativos- estão aposentados.

Cañizares será o encarregado de zelar pela liturgia e a celebração dos sacramentos, um dos aspectos aos que o atual Pontificado dá maior importância, como se viu com a realização dos dois últimos sínodos, um sobre a Eucaristia e o outro sobre "A palavra de Deus na vida e na missão da Igreja".

O novo governador regional da Congregação para o Culto Divino nasceu em Utiel, em Valência, em 15 de outubro de 1945.

Doutor em Teologia com a especialidade em catequese pela Universidade Pontifícia de Salamanca, foi ordenado sacerdote em 1970.

Ele deu aulas de Teologia fundamental na Universidade Pontifícia de Salamanca e no Seminário Maior de Madri, foi bispo de Ávila, membro da Congregação para a Doutrina da Fé, arcebispo de Granada e, finalmente, desde 2002, arcebispo de Toledo.

Em março de 2006 foi cardeal no primeiro consistório convocado pelo papa Bento XVI, que lhe atribuiu ainda o título da basílica romana de São Pancracio, como sinal de sua participação no cuidado pastoral da Cidade Eterna.

Na Cúria Romana, o cardeal Cañizares era, desde abril, de 2006 membro da Pontifícia Comissão Ecclesia Dei e da Congregação para a Doutrina da Fé desde o 6 de maio de 2006.

O cardeal Cañizares se pronunciou com dureza contra algumas leis do Governo espanhol, como a de casamentos homossexuais, a Lei Orgânica de Educação (LOE), com sua disciplina Educação para a Cidadania, e a Lei do divórcio, entre outras.

Em 4 de março deste ano, foi substituído como vice-presidente da Conferência Episcopal Espanhola (CEE) por Ricardo Blázquez, bispo de Bilbao.

Cañizares faz parte do Comitê Executivo e da Comissão Permanente da CEE. EFE jl/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG