Papa lembra que Deus é bom e não deseja o mal

Cidade do Vaticano, 7 mar (EFE).- O papa Bento XVI lembrou hoje, diante da facilidade de o mal ser considerado um castigo divino, que o Evangelho proclama a inocência de Deus e que este é bom e não consegue desejar o mal.

EFE |

Aos milhares de fiéis que se reuniram hoje na Praça de São Pedro para reza do Ângelus dominical, o pontífice declarou: "As adversidades e os eventos dolorosos não devem incutir em nós a curiosidade ou a busca por supostos culpados".

"Devem representar oportunidades de reflexão, de vitória sobre a ilusão de que é possível viver sem Deus e, com a ajuda do Senhor, de reforço do compromisso com uma mudança de vida", acrescentou.

O papa disse ainda que, "perante o pecado, Deus se revela cheio de misericórdia e não falta ao pedir aos pecadores que evitem o mal, cresçam em seu amor e ajudem o próximo necessitado, para viver a alegria da graça e não seguir rumo à morte eterna". EFE ebp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG