Papa insiste na defesa do casamento e da família e condena aborto

Valletta, 17 abr (EFE) - O papa pediu aos malteses que continuem defendendo a indissolubilidade do casamento como uma instituição natural e sacramental e que defendam a família e a vida humana, desde o momento da concepção até a morte natural.

EFE |

O pontífice fez hoje as declarações no discurso pronunciado durante a cerimônia de boas-vindas no aeroporto de Luqa, com a presença do presidente de Malta, George Abela, dos bispos da ilha e de diplomatas.

O papa ressaltou o compromisso do Governo de Valletta em projetos humanitários de longo alcance, sobretudo na África.

Malta é um dos países mais católicos da Europa, com 94,4% de sua população católica e o divórcio e o aborto são proibidos.

O papa acrescentou que o país, que tem 443 mil habitantes e 13 mil imigrantes, tem muito a oferecer em questões como a tolerância, a reciprocidade, a imigração e outros temas cruciais para o futuro do continente.

O papa também defendeu a liberdade religiosa e assegurou que Malta deve servir como ponte entre povos, culturas e as religiões do Mediterrâneo. EFE jl/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG