Papa exige uma verdadeira autoridade política mundial

O Papa Bento XVI defende a criação de uma verdadeira autoridade política mundial para sanear as economias afetadas pela crise e prevenir o agravamento, assim como maiores desequilíbrios, na primeira encíclica social de seu pontificado.

AFP |

"Para governar a economia mundial, para sanear as economias afetadas pela crise, para prevenir seu agravamento e maiores desequilíbrios consequentes, para alcançar um oportuno desarmamento integral, a segurança alimentar e a paz (...) urge a presença uma verdadeira autoridade política mundial", afirma o Sumo Pontífice em sua terceira encíclica e a primeira de cunho social, "Caritas in Veritate" (Caridade na Verdade).

"Esta autoridade deverá estar regulada pelo direito, ater-se de maneira concreta aos princípios do subsídio e de solidaridade, estar ordenada à realização do bem comum", afirma o texto de 150 páginas.

A esperada terceira encíclica do Papa alemão foi publicada um dia antes da abertura em L'Aquila (centro da Itália) da reunião de cúpula do G8, os oito países mais ricos do planeta, que terá a presença de quase 30 chefes de Estado e Governo.

A encíclica é interpretada como uma mensagem clara aos líderes dos países ricos.

O texto doutrinal é uma profunda reflexão sobre as consequências da globalização e contém fortes críticas à ONU, ao mesmo tempo que pede a reforma com urgência da organização.

kv/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG