Papa estende mãos a judeus por reconciliação com cristãos

Amã, 9 mai (EFE).- A dois dias de visitar Israel, o papa Bento XVI estendeu hoje a mão aos judeus e disse esperar que sua peregrinação a lugares santos possa ajudar a superar todos os obstáculos à reconciliação entre cristãos e judeus.

EFE |

Bento XVI assim disse no Monte Nebo, a 35 quilômetros de Amã, onde segundo o livro sagrado Deuterenômio, Deus permitiu a Moisés ver a terra prometida, embora não tenha conseguido entrar, já que morreu antes e, em seu lugar, o fez Josué.

"É justo que comece aqui, nessa montanha, minha peregrinação aos lugares santos, já que o magnífico cenário que é visto reflete o grande plano de salvação que Deus tinha preparado para seu povo", disse o papa.

O Bispo de Roma disse ainda que a antiga tradição de peregrinar aos lugares santos "lembra o inseparável vínculo que une a Igreja e o povo hebraico".

"Esperamos que este encontro nos inspire um renovado amor pelas Sagradas Escrituras e o desejo de superar todos os obstáculos que se interpõem na reconciliação entre os cristãos e judeus, no respeito recíproco e na cooperação ao serviço daquela paz à qual Deus nos chama", comentou.

Bento XVI chegará a Israel no próximo dia 11, em um momento em que ainda se mantém a polêmica pela negação do Holocausto por parte de um bispo lefebvriano e em que ainda continua posta uma foto de Pio XII no museu da Shoah, em Jerusalém, onde se acusa o ex-pontífice de se calar perante o genocídio nazista. EFE JL/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG