Papa encerra JMJ em Sydney anunciando Madri como próxima sede

Bento XVI se despediu com uma missa para centenas de milhares de peregrinos em Sydney e anunciou que Madri acolherá em 2011 as Jornadas Mundiais da Juventude, evento que na Austrália serviu de marco para que o Papa fizesse um inédito pedido de desculpas pelos abusos de clérigos pedófilos.

AFP |

Apesar de contar com uma platéia abaixo da esperada, o pontífice celebrou a missa ao ar livre diante de cerca de 400.000 pessoas, encerrando as Jornadas da Juventude (JMJ) em Sydney, que reuniram desde terça-feira 215.000 peregrinos, 12.000 deles latino-americanos.

Durante sua permanência de uma semana na Austrália, o chefe dos 1,1 bilhão de católicos do mundo liderou vários eventos e enviou várias mensagens, mas o momento de maior destaque foi quando pediu desculpas pelos casos dos padres pedófilos na Igreja.

"Lamento profundamente a dor e o sofrimento suportado pelas vítimas, e lhes asseguro que, como seu pastor, compartilho de seu sofrimento", disse ao pronunciar o esperado pedido de desculpas, em uma missa com bispos, seminaristas e noviços na catedral de Santa Maria em Sydney.

O Papa havia abordado o tema em abril em visita aos Estados Unidos, país onde a Igreja desembolsou cerca de 3 bilhões de dólares de indenizações e foram registradas cerca de 14.000 crianças abusadas.

Na Austrália, o Broken Rites, grupo de apoio às vítimas de abusos sexuais, assegura que 107 clérigos católicos foram condenados por tal motivo, enquanto outros processos estão em curso.

"As vítimas devem receber compaixão e atenção e os responsáveis por esses males devem ser levados à justiça", indicou Bento XVI, de 81 anos.

Mas muitas vítimas, embora tenham aceitado as desculpas, criticaram o fato de Bento XVI ter feito o pedido em uma missa com clérigos e não para as vítimas.

O Papa tinha que ter se desculpado "em uma catedral cheia de vítimas", disse à AFP John McNally, de 53 anos, abusado sexualmente, hoje membro da Broken Rites, ONG que protestou por não ter recebido resposta de um pedido de audiência com o pontífice.

Depois da missa deste domingo, para a qual os organizadores previam a presença de meio milhão de pessoas, o Papa anunciou que "as Jornadas Mundiais da Juventude 2011 serão realizadas em Madri, Espanha".

Durante suas homilias e mensagens, o Papa insistiu em dois temas aos jovens: no cuidado com o meio ambiente e na rejeição ao consumismo e ao relativismo que impregnam a sociedade atual, onde abundam os "falsos ídolos" e as "falsas promessas".

"Estão vivendo suas vidas de uma maneira que abre espaço para o Espírito Santo em meio a um mundo que quer se esquecer de Deus, e até rejeitá-lo em nome de uma liberdade mal concebida?", perguntou Bento XVI na missa deste domingo.

"Não sejam enganados por aqueles que os vêem apenas como consumidores em um mercado de possibilidades indiferenciadas", advertiu no ato que lhe deu as boas-vindas às JMJ.

Destacou que é preciso uma "nova era na qual a esperança nos liberte da superficialidade, apatia e da mesmice que insensibilizam nossas almas e envenenam nossas relações".

Também insistiu em sua condenação ao aborto: "Uma nova geração de cristãos é chamada a colaborar para criar um mundo no qual a vida, presente de Deus, seja bem-vinda, respeitada e apreciada, não rejeitada, temida como ameaça e destruída".

Segundo o Papa, "a Igreja necessita de fé, idealismo e generosidade, para que possa ser sempre jovem de espírito".

Bento XVI partirá para Roma na manhã de segunda-feira.

du/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG