Papa e Bush reafirmam preocupação com Iraque e compromisso contra terrorismo

Washington, 16 abr (EFE).- O papa Bento XVI e o presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, reafirmaram hoje seu compromisso comum contra o terrorismo e a favor da defesa da vida, e demonstraram sua preocupação com a situação no Iraque, destaca um comunicado conjunto.

Após uma cerimônia nos jardins da Casa Branca, durante a qual discursaram para quase dez mil pessoas, Bento XVI e Bush se reuniram a portas fechadas no Salão Oval da residência presidencial.

Segundo o comunicado, no encontro, ambos manifestaram "sua total rejeição ao terrorismo e à manipulação da religião para justificar atos imorais e violentos contra inocentes".

O papa e o presidente americano lembraram a "necessidade de o terrorismo ser combatido com meios apropriados que respeitem a pessoa humana e seus direitos".

Sobre a situação no Iraque, Bento XVI e Bush expressaram sua "comum preocupação" com a violência no país árabe e, em particular, "com a precariedade na qual vivem os cristãos".

O pontífice e o chefe de Estado americano dedicaram boa parte da reunião que tiveram ao Oriente Médio, em particular ao conflito entre palestinos e israelenses, a respeito do qual disseram que ambas as partes "têm que conviver uma ao lado da outra em paz e segurança".

Além disso, Bento XVI e Bush demonstraram seu "apoio à soberania e à independência do Líbano" e disseram esperar "pelo fim da violência" e "por uma solução rápida e global para as crises que afetam o Oriente Médio".

O presidente americano agradeceu o papa pela "orientação espiritual e moral que oferece à família" e lhe desejou "sucesso" em sua viagem apostólica e em seu discurso na Assembléia Geral das Nações Unidas.

Bush também expressou sua "admiração" pela visita que Bento XVI fará ao chamado Marco Zero de Nova York, o local onde ficavam as torres gêmeas do World Trade Center antes dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Tanto o presidente americano como o chefe da Igreja Católica manifestaram seu compromisso com o "respeito pela dignidade da pessoa, a defesa e a promoção da vida, o casamento e a família".

Ambos também defenderam a "instrução das gerações futuras, os direitos humanos, a liberdade religiosa, o desenvolvimento sustentável e a luta contra a pobreza e as doenças epidêmicas, especialmente na África".

Sobre este assunto, o pontífice agradeceu às "importantes contribuições financeiras dos Estados Unidos nesta área".

Como havia sido antecipado na terça-feira durante o vôo rumo aos EUA, outro dos temas que Bento XVI abordou com Bush foi a situação da América Latina e a imigração.

O papa e o chefe de Estado americano destacaram "a importância de uma política coordenada sobre a imigração, dedicada especialmente ao tratamento das pessoas e ao bem-estar das famílias". EFE ccg/bba/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG