Papa diz que guerras que ensangüentam a terra não apagam a luz de Cristo

Cidade do Vaticano, 6 jan (EFE).- O papa Bento XVI afirmou hoje que diante do ódio e da violência destrutiva que não cessam de ensangüentar muitas regiões da terra, os cristãos não podem perder a esperança, pois não há sombra, por tenebrosa que seja, que possa obscurecer a luz de Cristo.

EFE |

O papa presidiu diante 5.000 pessoas a solene missa da Epifania do Senhor na Basílica de São Pedro, na qual anunciou o dia da Páscoa, que este ano será comemorado em 12 de abril.

Durante a homilia, o papa criticou "o egoísmo e a pretensão do homem de se considerar um deus de si mesmo, o que às vezes conduz à perigosa alteração do plano divino sobre a vida e a dignidade humana".

Também convidou hoje os cristãos a um esforço especial para "libertar a vida humana e o mundo da intoxicação e da poluição que poderia destruir o presente e o futuro".

Citou a carta encíclica Spe Salvi e disse que ante a luta contra a poluição "não temos sucesso ou parecemos impotentes ante a superioridade das forças hostis" e pediu coragem, "pois é grande a esperança que se apóia nas promessas de Deus, que nos dá coragem e dirige nossa ação".

Bento XVI afirmou que a Epifania, "a manifestação do senhor Jesus, é um mistério multiforme" e que a tradição latina a identifica como a revelação do messias de Israel ao povo pagão, enquanto a oriental a relaciona ao batismo de Jesus no Rio Jordão.

O líder da Igreja Católica declarou que 2009 será dedicado em modo especial à astronomia e disse que este ano se celebra o quarto aniversário da primeira observação no telescópio de Galileu Galilei.

Os reis magos eram "com quase toda probabilidade astrônomos" e de seu ponto de observação, "talvez na Mesopotâmia", notaram a aparição de um novo astro na Palestina e interpretaram o fenômeno celeste "como o anúncio do nascimento de um rei, precisamente, segundo as Escrituras, o rei dos judeus".

Bento XVI afirmou que as diferentes interpretações sobre o fato cosmológico são simbólicas e teológicas, pois - disse - "enquanto a teologia pagã diviniza os elementos e as forças do cosmos, a fé cristã leva a bom termo a revelação bíblica e contempla um único Deus, criador e senhor do universo". EFE cps/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG