Papa diz que cristãos não devem aceitar leis injustas, como o aborto

Juan Lara. Cidade do Vaticano, 1 abr (EFE).- O papa abriu hoje o Tríduo Pascal com a Missa Crismal, e disse que os cristãos devem cumprir com o direito, mas que não devem aceitar as injustiças embora sejam consideradas como direito, por exemplo, quando se trata do assassinato de crianças inocentes ainda não nascidas.

EFE |

A missa marca o começo do Tríduo Pascal, centro do Ano Litúrgico, e celebra a Quinta-Feira Santa, dia em que se lembra a instituição dos sacramentos da Eucaristia e da Ordem Sacerdotal por Jesus Cristo durante a Última Ceia, segundo a tradição cristã.

Assim, durante o rito, realizado no começo da manhã na basílica de São Pedro do Vaticano, que contou com a participação de mais de 10 mil pessoas, os sacerdotes renovaram suas promessas (pobreza, castidade e obediência) e o papa Bento XVI destacou o que significa ser padre e suas obrigações.

"Os sacerdotes são chamados a se opor à violência", afirmou o Pontífice, que não fez referência aos escândalos de padres pedófilos, que já condenou com dureza em diversas ocasiões nestas semanas.

O Bispo de Roma, de quase 83 anos, assinalou que os cristãos têm que ser pessoas de paz, que reconhecem e vivem o mistério da cruz como mistério de reconciliação, já que Cristo - afirmou - não triunfa por meio da espada, mas por meio da cruz, "vence superando o ódio, com a força de seu amor".

Após ressaltar que a cruz de Cristo expressa seu 'não' à violência, Bento XVI disse que os cristãos são chamados a se opor à violência e como bons cidadãos têm que respeitar o direito e fazer "o que é justo e bom".

Segundo o papa, isso "consiste em rejeitar o que não é direito, mas injustiça nos ordenamentos jurídicos vigentes". "Por exemplo, quando se trata do assassinato de crianças inocentes ainda não nascidos", acrescentou o papa Ratzinger.

Bento XVI decidiu que o dinheiro recolhido durante a missa será destinado a reconstrução do seminário de Porto Príncipe, destruído pelo terremoto que castigou o Haiti em janeiro.

Amanhã o Pontífice presidirá na Basílica de São Pedro a Paixão de Cristo e pela noite irá ao Coliseu de Roma, no centro da Cidade Eterna, para presidir a tradicional Via-Sacra.

Na noite do Sábado de Aleluia, realizará a Vigília Pascal na Basílica de São Pedro, noite na qual a Igreja permanece à espera da Ressurreição do Senhor, segundo a tradição cristã.

No domingo realizará a Missa da Ressurreição na Praça de São Pedro, e depois fará o tradicional pronunciamento da Mensagem Pascual e dividirá a bênção "Urbi et Orbi" à cidade de Roma e a todo o mundo. EFE JL/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG