Cidade do Vaticano, 23 jan (EFE).- O papa afirmou que as novas tecnologias são um verdadeiro dom para a humanidade e um canal para a comunicação e novas amizades, mas advertiu que quando este desejo de conexão virtual se torna obsessivo a consequência é que a pessoa se isola, interrompendo sua interação social.

Bento XVI declarou isto em uma mensagem proferida por ocasião da 43ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais, que será realizada no dia 24 de maio e que foi apresentada hoje no Vaticano.

A mensagem tem como tema "Novas tecnologias, novas relações.

Promover uma cultura de respeito, de diálogo, de amizade" e está destinada à "geração digital", como o pontífice chama as pessoas - sobretudo jovens - que usam estas tecnologias.

O papa afirmou que as novas tecnologias devem estar a serviço "de todos os seres humanos, especialmente dos mais necessitados e vulneráveis".

Acrescentou que da nova cultura da comunicação se derivam muitos benefícios para as famílias, os estudantes, a pesquisa, a ciência, entre outros, e que este desejo de comunicação e amizade tem sua raiz na própria natureza humana.

Sobre a amizade, Bento XVI afirmou que através dela crescemos e nos desenvolvemos como seres humanos e advertiu que não se deve "banalizar" este conceito.

"Seria uma pena que nosso desejo de estabelecer e desenvolver as amizades on-line acontecesse em detrimento de nossa disponibilidade para a família, os vizinhos e dos que encontramos em nossa vida cotidiana. Quando o desejo de conexão virtual se transforma em obsessão, a conseqüência é que a pessoa se isola, interrompendo sua interação social", alertou o papa.

Atento à proliferação da internet, o Vaticano lançou hoje seu próprio canal no site "YouTube", no qual já oferece notícias sobre Bento XVI em espanhol, inglês, alemão e italiano.

Os vídeos do papa podem ser vistos no endereço www.youtube.com/vaticanit, informou hoje o Vaticano. EFE jl/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.