Papa diz que a paz está em perigo com explosão de violência na Faixa de Gaza

Cidade do Vaticano, 1 jan (EFE).- O papa Bento XVI disse hoje que a paz está mais uma vez em perigo pela explosão em massa da violência na Faixa de Gaza em resposta a outra violência e expressou preocupação e temor pelo futuro, embora também tenha mostrado esperança para viver em paz, segurança e dignidade.

EFE |

O pontífice oficiou a primeira missa do ano na Basílica de São Pedro na companhia de bispos, cardeais e monsenhores.

Durante a homilia o papa abordou a situação da Faixa de Gaza e assegurou que "o profundo desejo de viver em paz sai dos corações da grande maioria da população israelense e palestina". Ele expressou a esperança de que "com a sábia contribuição de todos" serão dadas as respostas concretas à aspiração generalizada de viver em paz, segurança e dignidade.

"A violência, o ódio e a desconfiança são as formas de pobreza - talvez a mais terrível - que é necessário combater", afirmou. O líder da Igreja Católica também lembrou dos que sofrem, especialmente "à pequena, mas fervente, paróquia de Gaza".

O bispo de Roma afirmou que no Dia Mundial da Paz - celebrado hoje - a pobreza impede que as pessoas e as famílias vivam de acordo com sua dignidade e "ofende a justiça e a igualdade e coloca em perigo a coexistência pacífica".

Além disso, afirmou que é necessário avaliar o fenômeno da globalização e que diante de pandemias espalhadas, da pobreza infantil e da crise de alimentos, "infelizmente" voltamos a denunciar a "inaceitável corrida armamentista".

"Por um lado celebramos a Declaração Universal dos Direitos Humanos e, por outro, está o aumento das despesas militares em violação à Carta das Nações Unidas, que se compromete a reduzi-las ao mínimo", declarou.

Bento XVI se perguntou se com a atual crise econômica global a humanidade está disposta a fazer uma revisão profunda do modelo de desenvolvimento econômico, o que é exigido pelo "estado de saúde do planeta e, sobretudo, pela crise cultural e moral cujos sintomas são evidentes há muito tempo em cada parte do mundo". EFE cps/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG