Papa diz a bispos irlandeses que pedofilia é crime hediondo

O papa Bento 16 disse a bispos irlandeses, em um encontro de crise para discutir o escândalo de pedofilia na igreja, que o abuso sexual de crianças por sacerdotes é um crime hediondo que os bispos precisam tomar a decisão de enfrentar, disse o Vaticano nesta terça-feira.

Reuters |

Em comunicado divulgado no fim de dois dias de reuniões, o Vaticano disse também que os bispos irlandeses prometeram ao papa que assumiram o compromisso de cooperar com as autoridades civis nas investigações sobre o escândalo.

"O Santo Padre observou que o abuso sexual de crianças e jovens não apenas é um crime hediondo, como um pecado grave que ofende a Deus e fere a dignidade da pessoa humana criada em sua imagem", disse o comunicado.

O papa Bento 16, os 24 bispos irlandeses e altos funcionários do Vaticano se reuniram em resposta ao ultraje suscitado na Irlanda com o relatório da Comissão Murphy, que condenou cabalmente os casos de abuso sexual infantil cometidos por sacerdotes.

Divulgado em novembro, o relatório disse que a Igreja Católica na Irlanda ocultou "obsessivamente" os abusos sexuais contra crianças cometidos na arquidiocese de Dublin entre 1975 e 2004 e que promoveu uma política de "não perguntar, não revelar."

Primeira reunião desse tipo promovida no Vaticano em oito anos, o encontro discutiu um plano de ação e pode levar à renúncia de mais prelados, causando um grande abalo na hierarquia da igreja irlandesa. Quatro prelados já apresentaram suas renúncias.

"Ao mesmo tempo em que reconhece que a situação dolorosa atual não será resolvida em pouco tempo, o papa desafiou os bispos a enfrentar os problemas do passado com determinação e resolução e enfrentar a crise presente com honestidade e coragem", disse o comunicado.

Os bispos também teriam "enfatizado seu compromisso de cooperar com as autoridades civis na Irlanda do Norte e do Sul" e também com outras organizações que investigam os abusos cometidos contra crianças, diz o comunicado.

De acordo com o relatório Murphy, todos os bispos de Dublin durante o período investigado tiveram conhecimento de algumas denúncias, mas a arquidiocese se preocupou mais em proteger a reputação da Igreja que em proteger as crianças.

Quatro bispos já apresentaram suas renúncias, e o papa até agora já aceitou uma delas. O grupo de vítimas "Um em cada Quatro" pediu a outros bispos em toda a Irlanda que praticaram uma "cultura do acobertamento" que também renunciem a seus cargos.

O papa vai enviar uma carta à população irlandesa --o primeiro documento papal da história a ser dedicado exclusivamente à pedofilia-- em algum momento da Quaresma, que começa na quarta-feira e termina na Páscoa, 4 de abril, disse um porta-voz do Vaticano.

Leia mais sobre Vaticano

    Leia tudo sobre: vaticano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG