Cidade do Vaticano, 25 set (EFE).- O papa Bento XVI destacou hoje a importância da escola católica, que segundo ele é uma expressão do direito de todos os cidadãos à liberdade de educação e do correspondente dever de solidariedade na construção da convivência civil.

O papa afirmou isto no discurso que pronunciou aos participantes do convênio promovido pelo Centro de Estudos para a Escola Católica (da Conferência Episcopal Italiana).

Após ressaltar a importância da escola católica "para o anúncio da fé e a promoção e formação integral do homem", o papa disse que é necessário conhecer a "preciosa contribuição (desta escola) à edificação do bem comum de toda a sociedade italiana".

Neste ponto e, diante do crescimento de escolas católicas na Itália, o Bispo de Roma reiterou o direito dos pais a escolherem a educação dos filhos e a que o estado financie as escolas católicas.

"No contexto de renovação, que se propõem aqueles que desejam o bem dos jovens e do país, deve-se favorecer a efetiva igualdade entre as escolas estatais e as escolas particulares, que ofereça aos pais a oportuna liberdade de escolha no que diz respeito às escolas às quais devem levar seus filhos", declarou o papa.

Esta não é a primeira vez que Bento XVI pede "igualdade". No dia 29 de maio, em discurso aos bispos, disse que a Itália precisa de uma nova educação e se mostrou a favor de que o Estado italiano financie a escola privada.

Ele defendeu esta posição com a seguinte frase: "em um Estado que se valoriza por promover a livre iniciativa em todos os campos, não parece se justificar a exclusão de um adequado apoio ao compromisso das instituições eclesiásticas no campo escolar". EFE jl/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.