Papa denuncia injustiças e desigualdades sociais intoleráveis

O Papa Bento XVI denunciou neste domingo desigualdades sociais e injustiças estruturais intoleráveis, ao comentar a recente reunião do G8 celebrada em LAquila (Italia), e ressaltou a necessidade de alcançar soluções globais para os problemas.

AFP |

"Nos últimos dias, a atenção da opinião pública se dirigiu para o G8, cuja reunião aconteceu em L'Aquila. Os temas na agenda eram com frequência dramaticamente urgentes", declarou o Papa durante a benção do Angelus.

"Há desigualdades sociais no mundo e injustiças estruturais intoleráveis que exigem, além das intervenções obrigatórias imediatas, uma estratégia coordenada para buscar soluções globais duradouras", completou o Sumo Pontífice.

Bento XVI recordou que os chefes de Estado e de Governo do G8, os oito países mais industrializados do mundo, que se reuniram de 8 a 10 de julho em L'Aquila, reiteraram "a necessidade de chegar a acordos comuns para garantir à humanidade um futuro melhor".

"A Igreja não dispõe de soluções técnicas para apresentar, mas como especialista em humanidade oferece a todos o ensino das sagradas escrituras sobre a verdade do homem", afirmou o Papa.

"As soluções aos problemas atuais da humanidade não podem ser apenas técnicas, devem levar em consideração todas as exigências da pessoa, que está dotada de uma alma e um corpo", acrescentou Bento XVI.

Neste contexto citou sua encíclica social, divulgada antes da reunião do G8, e que representa "uma nova contribuição da Igreja destinada à humanidade em seus esforços por um desenvolvimento duradouro com o pleno respeito da dignidade humana e das exigencias reais de todos".

ljm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG