Jerusalém, 15 mai (EFE).- O papa Bento XVI encerrou hoje sua peregrinação pela Terra Santa pedindo que a criação de um Estado palestino deixe de ser sonho e vire uma realidade que leve a paz à região.

Diretamente do aeroporto de Tel Aviv, de onde embarcou de volta a Roma, o Pontífice pediu tanto o "reconhecimento universal que o Estado de Israel tem direito a existir, e a gozar de paz e segurança em fronteiras internacionalmente reconhecidas", como o "direito do povo palestino a um lar nacional soberano e independente, a viver com dignidade e a viajar livremente".

"Deixem que a solução de dois Estados (israelense e palestino) se transforme em uma realidade e não siga sendo um sonho", disse Bento XVI diante do presidente de Israel, Shimon Peres, e do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu - que é contra isso.

Em seu discurso no aeroporto, o papa definiu a visita, iniciada no último dia 8 na Jordânia, como "fértil para o ecumenismo e o diálogo inter-religioso".

Por sua vez, Peres pediu a Bento XVI que use sua "grande liderança espiritual" para "ajudar o povo a reconhecer que Deus não está no coração dos terroristas". EFE ap/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.