Macarena Vidal Washington, 17 abr (EFE) - Embora o foco principal tenha estado em outros assuntos, como a condenação aos escândalos sexuais de sacerdotes, o papa Bento XVI dedicou uma atenção especial à questão migratória durante seus três dias de estadia em Washington, Estados Unidos. Na missa que oficiou hoje no estádio da equipe de beisebol Washington Nationals para 46 mil pessoas, o pontífice se referiu ao crescimento da Igreja Católica nos EUA devido à chegada dos imigrantes latino-americanos. Falando em espanhol no final da homilia, o bispo de Roma destacou a vitalidade do testemunho de fé dos fiéis de língua espanhola. A Igreja dos Estados Unidos, acolhendo em seu seio tantos de seus filhos imigrantes, foi crescendo graças também à vitalidade do testemunho de fé dos fiéis de língua espanhola, afirmou. Mais de 30 milhões, 45% dos 67,5 milhões de católicos americanos, segundo as estatísticas, são de origem hispânica, a maioria deles imigrantes que, ao manter sua fé, ajudam a combater a redução no número de não hispânicos que se identificam com esta confissão. Ainda mais importante, 68% dos latinos nos Estados Unidos se consideram católico e mais da metade dos católicos com menos de 25 anos são hispânicos, segundo os dados da Secretaria de Assuntos Hispânicos da Conferência de Bispos Católicos. Perante estes dados, não é de se estranhar que o papa se interesse por esta comunidade e pelos problemas que a afetam, em particular a questão d...

Estas operações, disse, "continuarão separando as famílias e desestabilizando as comunidades, graças ao fracasso do Congresso em levar em frente uma reforma migratória séria".

Várias autoridades eclesiásticas americanas, como o bispo de Los Angeles, Roger Mahony, se pronunciaram repetidamente a favor de uma reforma migratória que permita tornar regular a situação dos cerca de 12 milhões de imigrantes ilegais que, calcula-se, há no país. EFE mv/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.