Papa aplaude desejo de reconciliação da Austrália com aborígines

O Papa Bento XVI destacou, nesta quinta-feira (hora local), a decisão corajosa do governo da Austrália de buscar a reconciliação com os aborígines, que sofreram séculos de injustiças durante a colonização branca, em suas primeiras palavras ao iniciar sua visita oficial a Sydney.

AFP |

"Graças à decisão corajosa do governo da Austrália de reconhecer as injustiças cometidas no passado contra os indígenas, estão sendo dados agora passos concretos para alcançar a reconciliação baseada no respeito mútuo", disse o Papa, em cerimônia na Casa de Governo.

"De maneira correta, buscam acabar com a distância entre australianos indígenas e não indígenas, com relação à expectativa de vida, à educação e às oportunidades econômicas", continuou o Papa.

Bento XVI, que aproveitou, desde sua chegada, para descansar em uma propriedade do Opus Dei perto de Sydney, comentou que a busca de reconciliação "dá esperança" a outros lugares do mundo "que buscam ver seus direitos ratificados".

Em sua mensagem inicial, o Papa também fez um apelo para "a necessidade de se proteger o meio ambiente" e de se garantir o "diálogo inter-religioso".

Ele foi recebido pelo primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, durante o início oficial das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ). Em fevereiro, o premier fez um histórico pedido de perdão aos aborígines pelas injustiças cometidas pela colonização branca, esperando "apagar uma grande mácula da alma da nação".

O Papa, que fica no país até a próxima segunda, chegou à Casa de Governo de Sydney às 9h local (20h de quarta-feira em Brasília), onde foi recebido por Rudd e pelo governador geral da Austrália, Michael Jeffery.

Nesta quinta, milhares de pessoas devem receber o Papa no Porto de Sydney, durante a abertura formal das Jornadas da Juventude, de 15 a 20 de julho.

Pelo menos 215 mil jovens peregrinos, sendo 125 mil estrangeiros, participam do encontro, o segundo sob o pontificado de Bento XVI, após as Jornadas de Colônia, na Alemanha, há três anos.

du/LR/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG