Papa afasta bispo uruguaio que teria mantido relações homossexuais

Cidade do Vaticano, 1 jul (EFE).- O papa Bento XVI afastou o bispo de Minas (Uruguai), Francisco Domingo Barbosa da Silveira, envolvido em um escândalo de que teria mantido relações homossexuais, informou hoje o Vaticano.

EFE |

A decisão foi tomada em conformidade com o Código de Direito Canônico, pelo qual "se roga encarecidamente ao bispo diocesano que apresente a renúncia de seu ofício se, por doença ou outra causa grave, ficasse diminuída sua capacidade para desempenhá-lo".

O caso de Barbosa, até então bispo de Minas - 120 quilômetros ao norte de Montevidéu -, veio recentemente à opinião pública depois que o sacerdote denunciou por extorsão dois homens com antecedentes penais com os quais teria mantido relações sexuais.

Segundo fontes policiais, Barbosa contratou no final do ano passado os dois homens, que cumpriam penas por vários delitos, para que realizassem tarefas no Bispado, e uma noite após um jantar organizado pelo bispo, este manteve relações sexuais com os dois indivíduos, que foram gravadas com a câmera de um telefone celular.

Os dois presos, segundo as mesmas fontes, utilizaram a gravação para extorquir o bispo.

Há vários dias, o bispo pediu perdão publicamente. EFE JL/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG