O Papa Bento XVI admitiu, neste sábado (horário local), em Sydney, sentir vergonha e estar profundamente triste com os abusos sexuais de crianças cometidos pelos padres na Austrália e declarou que os culpados desse mal devem ser levados à Justiça.

Bento XVI reconheceu "a vergonha que todos sentimos, como resultado dos abusos sexuais de menores, por parte de clérigos e religiosos neste país", e insistiu em que os responsáveis por esses crimes "merecem uma condenação inequívoca".

"Estou profundamente triste com a dor e com o sofrimento das vítimas e lhes asseguro que, como seu pastor, eu também compartilho o sofrimento", declarou o Papa, que já havia abordado, em abril, nos Estados Unidos, o delicado tema dos padres pedófilos americanos.

"As vítimas devem receber compaixão e atenção, e os responsáveis por esses males devem ser levados à Justiça", frisou Bento XVI, na missa com bispos, seminaristas e o noviciado na catedral de Santa Maria, em Sydney, onde participa das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ).

du/tt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.