Papa acusa os países ricos de chantagear países pobres

O Papa Bento XVI acusou os países ricos de chantagearem os países pobres condicionando sua ajuda econômica à adoção de políticas contrárias à vida, em sua mensagem de paz, divulgada nesta quinta-feira.

AFP |

Neste documento, destinado à reflexão no dia 1º de janeiro, celebrado na Igreja católica como o "Dia mundial da paz", o Papa convidou os fiéis a enfrentar a globalização com maior solidariedade entre ricos e pobres.

Denunciou com vigor as explicações da pobreza causada por motivos demográficos e condenou as campanhas de redução da natalidade, realizadas em nível internacional, que não respeitam a "dignidade da mulher" e o "direito do casal".

Condenou também a prática do aborto, que ele considera uma eliminação de milhões de vidas em nome da luta contra a pobreza.

O Papa lamentou que os países vítimas de pandemias como a Aids sofram a chantagem dos que condicionam a ajuda econômica à adoção de políticas contrárias à vida.

Segundo o Papa, a população representa um fator de riqueza, não de pobreza.

"A luta pela globalização harmoniosa deve, antes de mais nada, passar por uma descoberta de sua dimensão espiritual e moral", disse.

O Pontífice destacou que a "marginalização dos pobres" só pode ser solucionada se cada homem se sentir pessoalmente ferido pelas injustiças existentes no mundo e pelas violações dos direitos do homem que são ligadas a ela.

Bento XVI disse ainda que todos os países devem ter "as mesmas possibilidades de acesso ao mercado mundial, evitando a exclusão e a marginalização".

nou/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG