Papa aceita uso de preservativos em alguns casos, diz livro

Para Bento 16, no entanto, a melhor forma de se combater a Aids é por meio da "humanização da sexualidade"

iG São Paulo |

O papa Bento 16 considera que, em alguns casos, o uso de preservativos se justifica, mas ressalta que eles não são a "verdadeira" forma para combater a aids, já que é necessária uma "humanização da sexualidade".

AP
Papa Bento 16 fala aos cardeais, em reunião no Vaticano
O papa fez a declaração no livro-entrevista produzido pelo escritor Peter Seewald, que será lançado no próximo dia 23, mas que teve alguns trechos divulgados neste sábado pelo jornal vaticano "L'Osservatore Romano". O livro é baseado em entrevistas com Bento 16.

O papa dá como exemplo de “caso justificado” o de uma prostitua que “usa um preservativo que pode ser o primeiro passo para uma moralização, um primeiro ato de responsabilidade para desenvolver a consciência de que nem tudo é permitido e não se pode fazer tudo o que se quer”.

Mas Bento 16 diz que “este não é o verdadeiro caminho para vencer o HIV” e defende a “humanização da sexualidade”. O papa ainda alerta contra a “banalização da sexualidade”.

Com informações da Efe

    Leia tudo sobre: papa bento 16preservativos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG