Papa aceita renúncia de polêmico bispo austríaco ultraconservador

O Papa Bento XVI aceitou a renúncia do bispo auxiliar de Linz, na Áustria, cuja designação gerou muitas polêmicas por suas posições ultraconservadoras, informou o Vaticano nesta segunda-feira.

AFP |

"O Santo Padre dispensou o reverendo Gerhard Wagner de aceitar o cargo de bispo auxiliar de Linz", anuncia um comunicado da Santa Sé.

O padre havia pedido a revogação da nomeação há duas semanas diante de tantos protestos.

A nomeação de Wagner, conhecido por suas posições críticas em relação ao homossexualismo, gerou polêmicas e até a própria Igreja austríaca criticou a indicação do Vaticano.

Gerhard Maria Wagner, de 54 anos, reitor da paróquia de Windischgarsten, ficou conhecido em 2001, quando descreveu como satânicos os romances de J. K. Rowling sobre o pequeno mago Harry Potter.

Também classificou a homossexualidade como uma doença que precisa de cuidados e, depois do furacão Katrina em 2005, comentou que não era coincidência que as cinco clínicas de aborto e os clubes de Nova Orleans tivessem sido destruídos, aventando que o aumento de catástrofes naturais seria consequência da "contaminação espiritual" e não resultado da crise do meio ambiente.

A nomeação de Wagner aconteceu em meio à polêmica pela decisão papal de suspender a excomunhão de quatro bispos do movimento integrista do francês Marcel Lefebvre.

Entre eles se encontrava o britânico Richard Williamson, que negou a existência das câmaras de gás e do Holocausto judeu, o que valeu ao Papa muitas críticas, tanto de judeus como de católicos.

As decisões do Papa têm provocado mal-estar entre muitos católicos da Alemanha e da Áustria, que pediram oficialmente que tenham seus registros da Igreja cancelados.

kv/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG