Papa abre sínodo e alerta sobre sociedades modernas sem Deus

Por Philip Pullella ROMA (Reuters) - O papa Bento 16 abriu uma importante reunião no Vaticano neste domingo censurando uma cultura moderna tão privada de fé que algumas pessoas estão declarando Deus morto e nações inteiras estão perdendo sua identidade.

Reuters |

O papa fez as declarações na homilia de uma missa que abriu o sínodo de um mês dos bispos católicos romanos de todo o mundo, que vão discutir a mensagem de Deus através das escrituras.

Ele disse que as nações que "um dia foram ricas em fé" estão agora "perdendo a identidade diante da influência prejudicial e destrutiva de uma certa cultura moderna".

Desde que tomou posse em 2005, o papa censura a perda da identidade cristã na maioria do países desenvolvidos da Europa e recentemente discursou sobre a necessidade de reinjetar os valores morais na arena política européia.

"Há aqueles que depois de decidir que 'Deus está morto', declaram a sim mesmos 'Deus' e artesão de seus destinos, o mestre absoluto do mundo", disse o papa.

As tentativas de "colocar Deus de lado" levaram à arrogância do poder, egoísmo, injustiça, exploração e violência, complementou ele na Basílica de São Paulo, em Roma.

O trabalho formal do sínodo começa na segunda-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG