Pandemia de gripe H1N1 permanece moderada, diz OMS

Por Stephanie Nebehay GENEBRA (Reuters) - A pandemia da gripe H1N1 continua moderada e seus efeitos estão provavelmente mais próximos dos das gripes de 1957 e 1968 do que da versão mais mortal de 1918, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira.

Reuters |

Segundo Margaret Chan, diretora-geral da OMS, a pandemia do H1N1 parece estar amenizando no hemisfério norte, mas pode causar infecções até abril, quando termina o inverno ali.

Ainda é cedo para saber o que acontecerá quando o inverno chegar ao hemisfério sul.

A pandemia de 1918, conhecida como gripe espanhola, matou entre 40 e 50 milhões de pessoas no mundo após o fim da Primeira Guerra Mundial.

Os governos já tomaram medidas adequadas para proteger suas populações, e "apesar da pressão sobre as salas de emergência e unidades de terapia intensiva, quase todos os sistemas de saúde têm lidado bem com a situação", disse Margaret Chan. "Mas as populações devem continuar sendo vacinadas".

Quase 14.000 mortes foram registradas em mais de 200 países desde o surgimento do vírus na América do Norte em abril do ano passado, mas levará ao menos um ou dois anos para que a pandemia termine para que um número exato possa ser estabelecido.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG