Palin acusará Obama de pensar primeiro na própria carreira em discurso na convenção

A candidata a vice na chapa do republicano John McCain, Sarah Palin, acusará, nesta quarta-feira, o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, de pensar primeiro em sua carreira, de acordo com trechos de seu discurso antecipados para a imprensa.

Redação com agências internacionais |

"Na política, há candidatos que usam a mudança para promover sua carreira. E há outros, como John McCain, que utilizam sua carreira para promover a mudança (em uma referência ao mote de campanha de Obama: 'change')", dirá Palin em seu discurso ainda esta noite, na Convenção Republicana, que acontece em St Paul (Minnesota, norte dos EUA).

Ela também afirmará que que não se apresenta ao cargo "para receber uma opinião favorável, e sim para servir ao povo deste país".

Palin discursará hoje à noite perante a Convenção Nacional Republicana em St Paul (Minnesota) para aceitar a candidatura à Vice-Presidência e alguns trechos foram divulgados pela campanha do candidato presidencial republicano, John McCain.

Discurso crucial

Sarah Palin tenta convencer os delegados do Partido Republicano na Convenção Nacional de St. Paul, Minnesota, de que sua presença na campanha pode ajudar os republicanos a chegarem à presidência dos EUA, apesar de seu currículo político marcado por polêmicas.

Seu discurso certamente será bem recebido pelos delegados que participam da Convenção e que, terça-feira, explodiam em aplausos cada vez que o nome dela era citado . Mas a candidata de 44 anos é uma desconhecida da maioria dos americanos.

McCain, que ainda não chegou a St. Paul, insiste em defender a escolha de Sarah Palin como vice de sua chapa, destacando sempre que está "feliz" com ela a seu lado na corrida presidencial .

Até a primeira-dama, Laura Bush, e o presidente George W. Bush, dois conservadores do Partido Republicano, fizeram questão de tecer elogios à candidata em seus pronunciamentos na Convenção nesta quarta-feira.


Conservadora, Sarah Palin enfrenta investigação no Alasca

Escolha controversa

As controvérsias sobre a governadora do Alasca, cuja experiência em gestão governamental se reduz a dois anos no governo do estado e do trabalho como prefeita de uma pequena comuna de 9.000 habitantes, se multiplicaram nos últimos dias.

Eleita para seduzir a base mais conservadora do Partido Republicano, para a qual McCain não é um candidato atraente, Sarah Palin confirmou segunda-feira que sua filha Bristol, solteira, de 17 anos, está grávida , dizendo que a menor terá o filho e se casará com o pai da criança.

Ultraconservadora, próxima dos cristãos fundamentalistas, Sarah Palin, mãe de cinco filhos e claramente contrária ao aborto, foi apresentada como um baluarte moral.

O comitê de campanha de McCain indicou que o candidato já sabia da gravidez da filha de Sarah Palin quando anunciou seu nome como companheira de chapa. O público agora espera a reação dos conservadores do partido a esta notícia.

Além disso, a governadora está sendo investigada por suposto crime de influência no governo do Alasca envolvendo a demissão de seu ex-cunhado, mas nega a acusação. Ela disse que contratou um advogado para cuidar deste caso.

Sarah Palin será a oradora principal desta quarta-feira, terceiro dia da Convenção Republicana, que ganhou força na terça-feira depois da estréia ofuscada na véspera pela passagem do furacão Gustav.

O candidato republicano parece estar caindo diante de seu rival democrata Barack Obama, que aparece com 50% das intenções de voto, contra 43% para McCain, na pesquisa USA Today/Gallup.

McCain, de 72 anos, vai falar quinta-feira aos 2.400 delegados de seu partido, num evento que deve ser assistido por 20.000 pessoas no estádio de hóquei sobre o gelo reformado para a ocasião.

Campanha conjunta

Depois da Convenção, a chapa republicana fará campanha com seus dois candidatos juntos em estados-chaves como Sterling Heights (Michigan, norte) sexta-feira, Colorado Springs (Colorado, oeste) sábado, e Albuquerque (Novo México, sudoeste) domingo, indicaram fontes republicanas.

Uma pesquisa de uma organização feminina divulgada nesta quarta revela que a escolha de Sarah Palin não convence as mulheres dispostas a votar.

No total, 52% das entrevistadas afirmaram que preferem a chapa democrata Obama-Biden, enquanto 41% optam por McCain-Palin, segundo a pesquisa realizada pela organização "Emily's List", ligada aos democratas.

A sondagem, que ouviu 800 mulheres entre 31 de agosto e 1º de setembro, revela que Palin é mais "um freio que uma alavanca para a fórmula republicana".

Para 59% das eleitoras entrevistadas, a decisão escolher Palin como candidata à vice-presidência é fruto de um "cálculo político". Para 20% não têm como base critérios de "experiência e competência".

Para 50% das eleitoras, a escolha de Joe Biden como vice-presidente do candidato democrata Barack Obama está fundada em sua experiência.

Além disso, apenas 25% das mulheres entrevistadas se disseram impressionadas pela carreira de Palin, 16% estão muito impressionadas, 17% apenas um pouco e 32% consideram que a trajetória da governadora do Alasca é pouco impressionante.



Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG