Palestinos pedem para Paul McCartney não se apresentar em Israel

JERUSALÉM ¿ Uma organização palestina pediu hoje a Paul McCartney para boicotar Israel e suspender o show que deve fazer no dia 25 em Tel Aviv. O pedido consta em um comunicado da Campanha Palestina para o Boicote Acadêmico e Cultural a Israel (PACBI, em inglês), no qual se assegura que o Estado de Israel programou o concerto para comemorar seu 60º aniversário, que é completado este ano.

EFE |

"Não há nada a comemorar", afirma a organização no texto. "Há 60 anos, centenas de milhares de palestinos foram destituídos de suas casas e terras, e condenados ao exílio", afirma o grupo no texto, no qual lembra que Israel "ainda ocupa ilegalmente terras palestinas e árabes, em violação às resoluções da ONU".

Por isso, pedem a McCartney para "manter os valores de liberdade, igualdade e paz". "Una-se conosco ao boicote contra o apartheid israelense. Não haveria nada que poderia fazer mais justiça ao lendário legado dos Beatles", afirma a organização.

A programação do show ocorreu após Israel pedir, este ano, desculpas por proibir, em 1965, os Beatles de se apresentar no país, por considerar que "seus cabelos longos e música estridente" ameaçavam perverter a juventude israelense.

Se o show for realizado, será a primeira vez que McCartney se apresenta em Israel.

Leia mais sobre: Natalie Portman

    Leia tudo sobre: paul mccartney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG