Palestinos e israelenses mantêm trégua sem incidentes nas primeiras horas

Gaza, 19 jun (EFE).- Israel e o Hamas mantêm desde esta madrugada, sem incidentes, o cessar-fogo que definiram com a mediação do Egito, depois de as duas partes terem intensificado seus ataques na quarta-feira.

EFE |

Uma hora antes de a trégua entrar em vigor, às 6h (0h de Brasília), um miliciano palestino pertencente ao braço armado do Hamas morreu devido a um ataque do Exército israelense na Faixa de Gaza, informaram fontes médicas palestinas e do próprio movimento islâmica.

No ataque, realizado por tanques israelenses, segundo as fontes palestinas, dois milicianos ficaram feridos.

Um porta-voz do Exército confirmou à Agência Efe que, por volta das 4h30, "aconteceu um ataque aéreo sobre o centro da Faixa de Gaza contra uma unidade que pretendia lançar um foguete".

Além disso, por volta das 6h, quando começou formalmente a trégua, patrulhas da Marinha israelense fizeram vários disparos para o alto em advertência nas imediações da área fronteiriça do norte da Faixa de Gaza, e os tiros caíram no mar, informou à Efe uma porta-voz do Exército de Israel.

A manobra "teve por missão advertir embarcações palestinas que navegavam em águas de uma zona de segurança fechada, próxima às imediações da fronteira norte de Gaza e Israel".

Segundo a porta-voz militar, as embarcações israelenses fizeram os disparos, que caíram na água e não deixaram feridos, para impedir que embarcações palestinas "de pescadores nada inocentes tentem traficar armas ou entrar em Israel por via marítima".

Nesta quarta-feira, foi registrado na Faixa de Gaza e em localidades israelenses divisórias um intenso dia de violência, no qual milícias palestinas lançaram cerca de 30 foguetes e 10 bombas, que não deixaram vítimas, mas causaram danos materiais.

O Exército israelense respondeu às agressões com dois ataques aéreos contra grupos de milicianos na Faixa de Gaza, que deixaram cinco feridos.

As Brigadas de Ezedin al-Qassam, braço armado do Hamas, expressaram hoje em comunicado seu compromisso com a trégua estipulada na Faixa de Gaza, mas advertiram que "não é um presente gratuito às forças ocupantes" e que "responderão duramente se Israel violar a trégua".

O acordo de cessar-fogo, alcançado com a mediação do Cairo, exige o fim dos ataques de todas as milícias palestinas durante os próximos seis meses.

Por sua vez, Israel deverá colocar fim às operações militares na Faixa de Gaza, suspender o bloqueio imposto ao território palestino e reabrir progressivamente os postos fronteiriços. EFE sar/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG