Cerca de 80 casas palestinas em Jerusalém Oriental estão ameaçadas de demolição pela administração local, denunciou neste domingo um dirigente da Autoridade Palestina.

"Os proprietários de 80 casas do bairro de Al Bustan receberam ordens de expulsão, nas quais são informados de que suas casas serão destruídas por serem ilegais", afirmou à AFP Hatem Abdel Kader, reponsável pelo dossiê de Jerusalém, iniciativa do primeiro-ministro palestino Salam Fayad. Segundo Abdel Kader, a medida afetaria um total de 1.500 pessoas.

AFP
Homem aponta para a região onde casas devem ser demolidas, em Jerusalém

Além disso, acrescentou que algumas das casas em questão foram construídas antes de 1967, anos da conquista e anexação de Jerusalém Oriental por Israel, embora muitas delas tenham sido ampliadas posteriormente.

"A autoridade local utilizou estas ampliações como pretexto para expedir estas ordens de demolição, apesar dos apelos dos moradores", indicou.

Até o momento, a administração de Jerusalém não confirmou as ameaças.

Segundo Musa Udeh, morador do bairro Bustan, a polícia israelense, acompanhada de funcionários municipais, foi à sua casa neste domingo para anotar seu nome. "Eles querem nos fazer ir embora", afirmou, sem informar se recebeu alguma notificação por escrito.

"Construí minha casa há um ano e meio. Solicitei uma permissão e nunca recebi autorização", contou Mahmud Al Abas, que recebeu da administração local uma ordem para deixar sua casa, que será demolida.

Por outro lado, Hatem Abdel Kader relatou que "pela primeira vez, a administração ofereceu nos transferir para o bairro de Chuafat", na parte norte de Jerusalém Oriental.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.