Palestinos devem se unir para negociar, diz Ban Ki-moon

VIENA (Reuters) - Os palestinos precisam mostrar união para ajudar a ressuscitar as conversações de paz no Oriente Médio, disse o secretário-geral da ONU Ban Ki-moon nesta sexta-feira. Será fundamental que os povos palestinos estejam unidos entre si e sejam capazes de levar adiante as negociações, disse ele em uma coletiva de imprensa em Viena, na Áustria.

Reuters |

Ban disse que se por um lado uma iniciativa lançada há sete anos pela Liga Árabe forneceu uma base para as negociações, "ao mesmo tempo valorizamos conversas bilaterais entre Israel e as autoridades palestinas".

O Hamas, grupo islâmico que controla a faixa de Gaza desde que derrotou as forças do presidente da Autoridade Nacional Palestina Mahmoud Abbas em 2007, se opõe aos anseios de Abbas em negociar a paz com Israel.

O governo do presidente norte-americano Barack Obama pressiona os governos árabes por gestos positivos a Israel se este congelar a construção de assentamentos em áreas ocupadas.

Washington espera que isto leve a conversações de paz na região, mas as nações árabes não mostram entusiasmo com a ideia.

Líderes árabes dizem continuar comprometidos com a iniciativa, patrocinada pela Liga Árabe em uma cúpula de 2002, de reconhecer o estado de Israel em troca da retirada deste de todas as terras ocupadas na Guerra dos Seis Dias de 1967, a criação de um estado palestino e uma solução "justa" para os refugiados palestinos.

Sucessivos governos israelenses rejeitaram ou ignoraram a oferta, dizendo que o retorno de refugiados a áreas hoje pertencentes a Israel destruiria o caráter judaico do estado.

Ainda assim, Ban disse ter grande esperança na abordagem de Obama para levar adiante o processo de paz.

"Vamos ver resultados positivos graças ao envolvimento direto do governo norte-americano no Oriente Médio", disse ele.

(Reportagem de Sylvia Westall)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG